RELATÓRIO DAS OFERTAS DE CARGAS COM ORIGEM E/OU DESTINO NA PENÍNSULA IBÉRICA

1.º SEMESTRE 2022

O relatório sobre a atividade na Wtransnet, a bolsa de cargas líder na Península Ibérica, através do qual se analisa a evolução das ofertas de cargas tendo a Península Ibérica como origem e/ou destino revela que, durante o primeiro semestre de 2022, a atividade de transporte de mercadorias em estrada continuou, apesar das consequências do conflito na Ucrânia e da inflação, com uma boa tendência e mantém melhores valores em relação a 2021, tal como se apontava no início do ano.


Deste modo, deparamo-nos com um período, o compreendido entre janeiro e junho, no qual se superaram os quatro milhões de ofertas de cargas, mais de um milhão a mais comparativamente com o mesmo intervalo de tempo em 2021, e ultrapassando com grande margem as registadas em 2020.

Na verdade, vemos como a tendência ascendente do ano anterior e do início do ano corrente já é uma realidade, com um mês recorde, o mês de março, no qual foram alcançadas 900 000 ofertas de cargas. Um marco que colocou a fasquia muito alta e, embora não tenha sido atingido novamente, não sofreu qualquer impacto, tendo-se verificado também que em cada um dos meses seguintes os números permaneceram acima dos de 2021.


Um aumento de 42% na atividade tem-se refletido a todos os níveis, com números muito elevados tanto para as cargas de exportação (+31%) e as de importação (+51%), como para as do transporte nacional (+44%).

EXPORTAÇÃO

As ofertas de cargas para exportação aumentaram exponencialmente em relação ao ano anterior em todos os países, com um crescimento, como referíamos, de 31% em relação ao mesmo período em 2021.

Dentro do “Top 10” de países recetores de mercadoria procedente da Península Ibérica, há que destacar o extraordinário crescimento registado pela Alemanha (+49%), Itália (+44%), Países Baixos (69%) e Áustria (86%), assinalando as melhores percentagens num quadro no qual existem “números vermelhos”.


Embora não seja tão espetacular como a de otros países, também há que destacar a subida de 16% na França, já que esta representa 60% das ofertas totais que são publicadas para exportação na Wtransnet.


Outro aspeto a destacar é o regresso do Reino Unido a um caminho positivo, que com 6% mais de ofertas de cargas parece ter voltado a estabilizar-se após o “Brexit” e o impacto do mesmo no transporte internacional de mercadorias em estrada.

De qualquer das formas, o volume de exportações mantém-se em ótima forma, com um trimestre no qual se superaram as 470 mil ofertas de cargas e que nos permite prever uma boa campanha estival.

IMPORTAÇÃO

Este boom na atividade foi também observado nas ofertas de cargas de importação que, com um crescimento de 51%, mostrou uma tendência invulgar durante a primeira metade do ano, uma vez que normalmente encontramos um crescimento mais moderado.

Neste caso, os números da atividade na França, novamente o principal mercado de origem das ofertas de cargas tendo Portugal e Espanha como destino, é extraordinariamente elevado (+66%), motivo pelo qual a diferença é ainda maior do que a exportação.

Do mesmo modo, nos restantes países de origem dos quais importamos mais mercadorias, encontramos também números muito elevados: Bélgica (+76%), Países Baixos (+64%), Polónia (+62%) e, especialmente, Áustria e República Checa, com aumentos de 108% e 145% respetivamente.

Também aqui há que sublinhar a subida experimentada pelo Reino Unido, que recupera os dígitos positivos com mais 14% de ofertas de cargas. 

TRANSPORTE NACIONAL

No que respeita ao transporte doméstico, que representa o maior volume na plataforma Wtransnet, as ofertas de cargas tendo a Península Ibérica como origem e destino estão desajustadas da situação atual, com um aumento de atividade de 44%. Tanto assim é que excedemos os dois milhões de ofertas de carga, mais de meio milhão acima do que no mesmo período de 2021.

Todas as regiões da Península Ibérica estão com “números verdes”, com a Andaluzia, a Catalunha e a Comunidade Valenciana como principais recetoras e exportadoras de cargas. No caso concreto de Portugal também se manifestaram excelentes registos, com mais de 120 mil ofertas de cargas no total e um crescimento de 37%.


Em jeito de conclusão, é importante ressaltar que, durante este primeiro semestre de 2022, registaram-se na plataforma da Wtransnet mais ofertas de cargas que ofertas de veículos em absolutamente todas as regiões. Uma boa notícia para os transportadores ibéricos, que assim veem aumentar a possibilidade de nunca ter de enfrentar os quilómetros em vazio, tal como pretendemos, e objetivo este para o qual trabalhamos.


Estamos, portanto, a caminhar para uma estação de verão em que, se a tendência se mantiver e as condições externas o permitirem, as expetativas são mais do que otimistas.



Aviso Legal |  Política de privacidade  |  Termos de uso